terça-feira, 6 de junho de 2017

Resenha: Manual Russo de Finais (The Russian Endgame Handbook) de Ilya Rabinovich

Título: The Russian Endgame Handbook
Autor: Ilya Rabinovich
Editora: Mongoose Press (EUA)
Formato: capa dura
Páginas: 523




Um antigo ditado soviético dizia que os enxadristas amadores do Ocidente "jogavam aberturas como grandes mestres, meio-jogo como experts e finais como iniciantes". Isso vem daquilo que já foi tratado em outro post neste blog, de que a escola soviética de xadrez - a mais vitoriosa de todos os tempos - sempre tinha como método de estudo do jogo iniciar não com aberturas, mas com o domínio dos finais.

Jogadores soviéticos treinados  conduziam sem medo o jogo para o final, confiantes na sua habilidade superior. Este livro se conduz rigorosamente nesta linha.

Rabinovich conduz a um novo entendimento dos finais de jogo com um sofisticado nível, iniciando com os xeque-mates elementares e daí para patamares mais complexos. 

Trata-se de uma obra tanto para veteranos como para iniciantes. Infelizmente não temos tradução em português. Seus inúmeros diagramas nos ajudam a entender tudo que se explica.

O que é importante saber é que para cada final de xadrez, em especial os com poucas peças, o jogador em vantagem tem que apenas seguir uma técnica. O final pretas com um rei brancas com o rei e torre é infalível para as brancas, se não houver um erro crasso, o que levará ao empate, que é uma derrota moral.




O estudo do xadrez por principiantes deve, paradoxalmente, começar pelos finais.  Isso porque os iniciantes cometem tantos erros que quase invariavelmente chegam ao fim do jogo com poucas peças. Aquele que  tiver o domínio do final para levar ao mate será o vencedor. Além disso, no meio jogo surgem situações estudadas no final, e que quando bem jogadas decidem a partida.