sábado, 1 de outubro de 2016

Resenha: Endgame Virtuoso (Final de Jogo Virtuoso, em inglês), de Vasily Smyslov






Título: Endgame Virtuoso
Autor: Vasily Smyslov
Editora: Everyman Chess (Grã Bretanha)
Idioma: Inglês
Nº de páginas: 176
Formato: brochura
Ano: 1997



Adicionar legenda


Vasily Vasiliyevich Smyslov, (em russo: Васи́лий Васи́льевич Смысло́в), (Moscou, 24 de março de 1921 — Moscou, 27 de março de 2010) foi um enxadrista soviético e cantor de ópera, tendo sido campeão mundial de 1957 a 1958. Smyslov atingiu o grau de "GM", "Grande Mestre", célebre por sua renomada arte nos finais das partidas de xadrez. 

Sua espetacular vitória contra Botvinik no Campeonato Mundial de 1957 foi muito atribuída a sua habilidade neste aspecto do jogo (parte final). Vencedor de inúmeros títulos, aos 61 anos Smyslov tornou-se o mais velho jogador a se qualificar para disputar um Campeonato Mundial.

Esta obra é dedicada ao estudo de finais. É dedicada a enxadristas com alguma experiência, pois não avalia os finais ditos "básicos", mas sim alguns mais complexos. 

O livro é divido em sete partes: 

a) finais com peões; 
b) finais com peças menores; 
c) finais com a torre; 
d) finais com a torre e peças menores; 
e) finais com a Dama; 
f) estudos do autor; 
g) jogos ilustrativos.


Um diagrama de um final de partida

O final de jogo é um tema muitas vezes desprezado pelos enxadristas, que podem considerar seu estudo chato e monótono. No entanto, a mais vitoriosa escola de xadrez, a da antiga União Soviética, tem por método justamente que o iniciante deve estudar exaustivamente finais antes de qualquer coisa. John Barroso, famoso enxadrista brasileiro radicado nos EUA, autor de "Como aumentar sua força enxadrística" (Editora Ciência Moderna, Rio de Janeiro, 2015) afirma:

"ao iniciante é mais importante praticar finais do que aberturas. Isso porque os iniciantes (digamos que nunca jogou em torneio, mas já sabe as regras de xadrez, ou quem ranqueia abaixo de 1.400 pontos), cometem tantos erros no início de tal forma que o erro de um anula o erro do outro (!). O que vale mesmo é o que acontece no final!" (obra citada, Introdução)

O final do jogo é o que realmente necessita ser dominado, pois é o que decide a partida. Bom estudo!