segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Morte em Veneza - livro e filme

Um dos autores mais importantes da literatura alemã do século XX, ao lado de Hermann Hesse e outros, certamente é Thomas Mann. Em várias de suas biografias, Mann é apresentado como um homossexual enrustido ou como pessoa com "tendências homossexuais", chegando a tomar "banhos frios" para "conter seus impulsos".

A novela Morte em Veneza, escrita em 1912, talvez seja o texto de Mann que mais "revela" essa faceta de sua natureza.

A trama se passa ao redor de uma visita a Veneza do escritor Gustav von Aschenbach, homem afastado da família, já consagrado pelos seus escritos, bem como dado a uma disciplina prussiana no seu modo de vida. 

Aschenbach vai à cidade italiana em busca de um clima melhor que o do sul alemão, que teoricamente estaria prejudicando sua saúde. Entretanto, chegando ao destino, descobre que as temperaturas elevadas e alta umidade veneziana o prejudicam ainda mais. Ele está hospedado no luxuoso hotel "Lido", frequentado por muitas famílias e indivíduos da elite de toda a Europa.

É no hotel que Aschenbach encontra um jovem adolescente polonês, que vem acompanhado de toda família, ao qual reputa uma beleza encantadora e nunca antes vista. Gustav apaixona-se perdidamente pelo jovem, que depois descobre chamar-se "Tadzio". É uma paixão platônica absolutamente enlouquecida, até pela diferença de idade gritante entre os dois, pois Gustav, ao que tudo indica, já beira os sessenta.

Particularmente, dei barrigadas de riso com as patéticas tentativas de Aschenbach de chamar a atenção de Tadzio, indo ao cabeleireiro para pintar os cabelos, comprando ternos vermelhos e "laçarotes" - quase um "bicha louca" - e seguindo o rapaz por toda a Veneza, maquiado com toneladas de produtos, numa tentativa totalmente vã de tornar-se mais jovem aos olhos do rapaz. Tudo vira ao reverso, pois ele torna-se uma figura estrambótica, mesmo que Tadzio, num dado momento, lhe dê um sorriso, o que quase causa um infarto em Gustav, acreditando ser "retribuído"... trata-se claramente de um humor tragicômico, pois as atitudes de Gustav são típicas do apaixonado que, submerso nos sentimentos eufóricos, não se dá conta das atitudes ridículas ao extremo que comete.

Também a trama é permeada por um "mistério". Algo está ocorrendo em Veneza, que é oculto pelas autoridades e pelos funcionários do hotel Lido. Gustav fica extremamente preocupado e passa a investigar o que está acontecendo na cidade, paralelamente aos seus "faniquitos" de paixonite platônica.

Morte em Veneza foi filmado em 1971, numa produção franco-italiana dirigida por Luchino Visconti. O filme pode ser classificado como "bom", apesar de muitos o considerarem um clássico. O filme pode ser visto pelo YouTube em versão integral.