domingo, 23 de agosto de 2015

John Green: entrevista sobre a adaptação de Paper Towns para as telas

Faltando pouco mais de um mês para a estréia do filme "Cidades de Papel", o autor do livro, John Green, compartilhou durante uma entrevista para a revista New York magazine, alguns detalhes da produção, e revelou as maiores diferenças entre o livro e o filme. 


Você disse em seu blog, que teve a chance de escrever o roteiro de "Cidades de Papel", e que você decidiu abrir o filme com um acidente de avião, isso é verdade ?

"Sim! No começo do filme, você precisa de uma cena com efeitos especiais. Eu escrevi um começo bem diferente para o filme. Eu vivia em Orlando, e quando eu era pequeno teve esse acidente com o bagageiro de um avião, ele abriu durante o voo e caiu no subúrbio da cidade. Esse acidente foi muito marcante pra mim, então o usei no filme. Começa com as crianças no parque, e de repente parte das bagagens caem do céu bem em frente deles, isso da uma mensagem inicial a eles"

Qual foi o melhor momento no set ?

"As cenas com a mini-van foram muito divertidas, por que estavam todos lá, e eles amam um ao outro. Nós somos literalmente como uma família. Tivemos que passar uma noite inteira filmando uma cena da mini-van na Carolina Do Norte, e eu não madrugava a muito tempo, passamos muitas horas nessa rodovia filmando, e é um local que você não tem muita chance de explorar. Então estar ali com todos, tendo conversar bacanas, foi muito especial para mim. Eu tenho memórias incríveis sobre essa noite e sobre o set."  

Há muitas perguntas no Twitter sobre coisas que você não tem nada a ver no filme, então eu estou colocando essas de fora. 

"Eu te agradeço por isso! Eu não quero receber muitos créditos por esse filme, eu tento deixar isso bem claro nas minhas declarações. Mas é difícil, porque as pessoas sempre me associam a isso, e eu não tenho nada a ver com a escolha do elenco, esse não é meu trabalho. Todas as pessoas que eu queria no meu filme, não dariam certo. Por exemplo, eu amo a Drew Berrymore, mas ela tem 38 agora. Eu tenho minhas preferencias, as vezes elas dão certo, e as vezes não. Nat e Cara deram tudo de si no filme, e ficou muito bom. Mas o livro é o livro."

É verdade que em muitos sentidos "Cidades de Papel" é sobre fama e sobre o jeito que vemos as pessoas ?

"Foi o que me marcou naquela época. É isso que faz Cara ser tão boa!  Eu nunca conheci alguém em toda a minha vida que entenda tão bem o que é julgar uma pessoa somente por sua imagem. Eu não sabia que ela era modelo, e eu achei tão incrivel o modo com que ela fez a audição, o modo com que ela entende Margo tão bem."