quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Comentários: Cláudia Tajes

Cláudia Tajes: uma portoalegrense paradoxal



Cláudia Tajes é uma jornalista gaúcha que estreou na literatura em 2000. Sua temática quase sempre gira em torno da questão dos amores e des-amores das mulheres, normalmente personagens tidos como rejeitados, isolados ou quem fazem um tipo "feia ou gorda).
Apesar de ser inimiga visceral do politicamente correto, seus romances e livros de contos agradam aqueles que são adeptos do humor tragicômico, mesmo que as vezes sintamos profunda piedade das tragédias vividas pelos seus personagens. Tajes aborda sempre universo feminino, basicamente as mulheres frustradas afetiva e sexualmente, que se metem em situações das mais inusitadas. Ela é capaz de escrever tiradas quase cruéis, tais como, "é característica das mulheres feias se irmanar com a dor de terceiros". 
No entanto, Cláudia tem uma perspicácia fina e consegue observar detalhes que muitas vezes nos passam despercebidos.
Apesar de irreverente, é uma leitura que vale a pena.