segunda-feira, 24 de agosto de 2015

As biografias de Trotsky


Existem muitas biografias deste genial personagem da História, o revolucionário russo Leon Trotsky, originalmente Lev Bronstein. Escolhi algumas para resenhar aqui.

Conheça Trotsky (Tariq Ali e Phil Evans):  trata-se de uma obra absolutamente introdutória ao pensamento trotskista, dedicada particularmente aos jovens, por ser muito ilustrada, quase em quadrinhos. No entanto, é um livro muito bom, justamente porque oferece uma visão panorâmica tanto do pensamento de Trotsky como da história de sua vida, da Revolução Russa, do stalinismo e da fundação da Quarta Internacional. Escrito de uma forma leve, nos faz perceber conceitos básicos que serão aprofundados em outros estudos. Mesmo assim, muitas vezes volto a ela para reler alguns trechos clareiam nossa visão, muitas vezes "contaminada" pelo excesso de informações de leituras mais densas. A edição que possuo foi feita pela Proposta Editorial, que já não existe mais, em 1980.


O Pensamento Vivo de Trotsky (J. Posadas): péssimo
livro, já digo de cara (editado em 1989 pela Editora de Ciência, Cultura e Política Ltda.). Posadas foi um argentino que militou no movimento trotskista daquele país, sempre à marginalidade, mantendo sempre organizações tipo "seita" sob seu estrito controle. O livro mostra toda a capitulação extrema do posadismo ao stalinismo e à antiga União Soviética, ao castrismo e todos os "líderes" que pudessem vir a "substituir" a Quarta Internacional na liderança do processo revolucionário mundial. Posadas ficou famoso pelo "folclórico" artigo que escreveu sobre ufologia e movimento revolucionário, afirmando que seres de outros planetas certamente seriam comunistas. O livro não faz menção alguma a esta esquizofrenia, mas defende a tese da "luta de blocos", entre a parte do globo liderada pelos EUA e aquela a anteriormente capitaneada pela URSS, defendendo a tese de que a função do trotskismo contemporâneo é a defesa do bloco soviético sem críticas.

El Trotskismo y los Trotskistas (Jean-Jaques Marie): trata-se de uma obra editada na Espanha pelo POSI - Partido Obrero Socialista Internacionalista - seção espanhola da Quarta Internacional reproclamada em 1993. Não é de fato uma biografia de Trotsky, mas um histórico do movimento trotskista internacional após sua morte. O subtítulo é, "de ontem a hoje, a ideologia e os objetivos dos trotskistas no mundo".
Certamente a parte mais importante do livro é seu capítulo oitavo, "O Pablismo e a cisão de 1952-1953", o qual narra a crise da Quarta Internacional, instaurada a partir do artigo de seu dirigente Michel Pablo, quando ele publica na revista Quatrième Internationale o artigo "Aonde Vamos?". Este artigo sintetiza a política que Pablo implantou na Internacional, segundo a qual os partidos comunistas (stalinistas), fariam a revolução a sua maneira. Desta feita, a própria existência do trotskismo se fazia desnecessária, visto que, por vias transversas, o stalinismo teria se transformado num movimento revolucionário. J-J Marie chega a narrar o fato de que, quando do XXº Congresso do Partido Comunista da URSS, quando Nikita Kruschov apresentou o "relatório secreto" apontando os crimes de Stálin, o pablismo mandou uma carta à direção do PCUS para que a Quarta Internacional (ou o que sobrara dela nas mãos dos pablistas) fosse admitida como parte do "movimento comunista internacional".
Como diz a contracapa do livro, o objeto da obra é demonstrar - particularmente às gerações mais jovens - os elementos necessários para a compreensão da realidade histórica. O leitor poderá conhecer o conteúdo fundamental das posições defendidas pelos trotskistas ao longo de mais de meio século, pelas principais correntes que se reivindicam trotskistas.

Trotsky: Revolucioario Sin Fronteras (J-J Marie): obra ainda inédita em língua portuguesa, escrita pelo mesmo autor
do livro anterior, Jean Jaques Marie, historiador francês e militante da Quarta Internacional. O autor é ainda membro do Centre d'Études et Recherches sur les Mouvements Trotskyste et Révolutionaires Internatinaux (CERMTRI), dirige a revista Les Cahiers du mouvement ouvrier. A premissa de J-J Marie ao escrever este livro (minha edição é de 2009, editada pelo Fondo de Cultura Económica de Argentina) é de que o período histórico aberto com a Revolução de Outubro, e as premissas que a ela deram origem, bem como as contradições do sistema capitalista, não se fecharam.
J-J Marie teve acesso a arquivos da antiga URSS e, com todo rigor científico, defende posições revolucionárias, criticando o modo de produção baseado na propriedade privada dos meios de produção, nas formas atuais de democracia e as consequências da chamada "globalização". Tudo isso a partir da narrativa de uma biografia POLÍTICA de Trotsky, seu pensamento e a atualidade deste.

A Trilogia de Isaac Deutscher: Em O Profeta Armado, Desarmado e Banido, Isaac Deutscher construiu a mais colossal
biografia de Leon Trotsky. Deutscher faleceu em 1967, foi jornalista e chegou a militar no movimento trotskista, mas discordou da fundação da Quarta Internacional. Mesmo assim, a leitura de sua trilogia é indispensável a qualquer militante ou simpatizante da esquerda, ou mesmo por ser uma das maiores obras biográficas da literatura do século XX. Deutscher fez uma pesquisa minuciosa da vida de Lev Davidovich, desde sua infância, sua pequena passagem pelo anarquismo, sua adesão ao marxismo, suas polêmicas com Lênin e os mencheviques, sua adesão ao Partido Bolchevique, seu papel decisivo na Revolução como chefe do Exército Vermelho e depois todo o processo de desterro e perseguição pelo stalinismo, até seu assassinato em 21 de agosto de 1940 no México, a mando de Stálin.
Como dito, é uma obra gigantesca, riquíssima em detalhes, que vai a fundo na vida e nos conflitos, pessoais e políticos, do revolucionário russo. Indispensável.